2007

Ajuste no Cálculo de Perdas Técnicas a partir de Estimativa de Perdas Comerciais

Projeto finalizado , 12 meses | EDP Escelsa

Coordenador(es) Flávio Miguel Varejão

Equipe J.B. Anicio Thomas W. Rauber

Todo consumo de energia em um sistema elétrico está associado a perdas, que correspondem à diferença entre a quantidade de energia distribuída e a quantidade de energia paga pelos consumidores.

As perdas podem ser classificadas, de acordo com a sua origem, em perdas técnicas e não-técnicas. O conceito de perdas técnicas está relacionado à energia distribuída, mas que não foi faturada por não ter chegado ao ponto de entrega. Esse tipo de perda ocorre durante o transporte inerente ao processo. Já a perda não-técnica é a energia entregue, mas que por algum motivo não foi faturada, como, por exemplo, erro de cadastro, irregularidade na medição e furto de energia. As perdas não-técnicas também são chamadas de perdas comerciais.

Para calcular as perdas técnicas no sistema de distribuição de energia, a ESCELSA selecionou a metodologia definida por Méffe. Essa metodologia, nomeada de “Metodologia para Cálculo de Perdas Técnicas por Segmento do Sistema de Distribuição”, propõe a utilização de curvas típicas de carga para representar a carga dos consumidores e implementa o cálculo elétrico detalhado de cada componente pertencente aos segmentos do sistema de distribuição. Cada segmento forma um conjunto de componentes que desempenham uma determinada função no sistema elétrico.
No entanto, essa metodologia descrita não leva em consideração eventuais erros de cadastro, diferenças nos períodos de leitura e perdas técnicas decorrentes da circulação de energia relacionada às perdas não-técnicas. Com isso, observa-se uma discrepância entre a energiamedida nos alimentadores da subestação e a energia registrada somada às perdas técnicas calculadas.

Para melhorar a Metodologia para "Cálculo de Perdas Técnicas por Segmento do Sistema de Distribuição”, Méffe propôs o cálculo de um fator de correção que permitiu corrigir as cargas que circulam na rede para contemplar as perdas não-técnicas e obter o valor ajustado das perdas técnicas, apresentando na tese “Cálculo de Perdas Técnicas em Sistemas de Distribuição – Modelos Adequáveis às Características do Sistema e à Disponibilidade de Informações”. Entretanto, esse método de ajuste distribui as perdas não-técnicas igualmente entre as cargas BT e MT, desconsiderando que existem regiões onde o índice de irregularidades de medição e o perfil de consumo são muito diferentes entre si.

Por isso, conforme sugerido na tese "Cálculo de Perdas Técnicas em Sistemas de Distribuição – Modelos Adequáveis às Características do Sistema e à Disponibilidade de Informações”, é necessário desenvolver um método de correção das perdas técnicas que distribua as perdas não-técnicas de forma não proporcional entre as diferentes regiões atendidas pelas subestações. Este
projeto propôs, portanto, uma metodologia para estimar as perdas comerciais tanto das cargas BT quanto das MT a fim de aprimorar o cálculo das perdas técnicas definido em "Cálculo de Perdas Técnicas por Segmento do Sistema de Distribuição" e "Cálculo de Perdas Técnicas em Sistemas de Distribuição – Modelos Adequáveis às Características do Sistema e à Disponibilidade de Informações”.